O QUE É

CIDADE (IN)VISÍVEL é uma plataforma de mapeamento colaborativo, aberta a todos para adicionar, descobrir e discutir lugares da cidade. No decorrer de vários encontros testou-se e alimentou-se uma plataforma digital que dá visibilidade a tesouros escondidos da cidade. Discutimos arquitetura, arte urbana, vazios urbanos e aspectos que fazem de Goiânia uma cidade comestível. Num curso sobre urbanismo biopolítico, aprendemos o que são tecnopolíticas e co-criamos tecnologia social. Noutra oficina produzimos colaborativamente um guia das ruralidades urbanas do Setor Pedro Ludovico. E, no final, tudo isso foi oferecido para as pessoas de Goiânia, no mês que a cidade celebrou 84 anos.

Este projeto foi contemplado pelo Fundo de Arte e Cultura do Estado de Goiás 2016, SEDUCE e Governo de Goiás

MAPA

O mapa colaborativo foi criado para dar visibilidade a lugares da cidade que muitas vezes passam despercebidos na correria do dia-a-dia. A plataforma está aberta a todos os que quiserem contribuir com o seu olhar na cidade. Clique na imagem abaixo para abrir o mapa. Tem dúvidas? Consulte nossas questões frequentes.

WORKSHOPS

Criação de um Guia Colaborativo de Ruralidades Urbanas, curso em tecnopolíticas e plataformas de urbanismo cidadão e quatro oficinas de mapeamento digital colaborativo com os temas Arte Urbana, Art Déco, Vazios Urbanos e Cidade Comestível.

Guia de Ruralidades Urbanas

Foi criado colaborativamente um Guia de Ruralidades Urbanas a partir do trabalho de grupo na sala de aula e de observação e registro no campo, no Setor Pedro Ludovico.

Saber mais
Plataforma de Urbanismo Biopolítico

O workshop produziu tecnologia social, re-aplicando o método utilizado em Belo Horizonte, para os casos específicos de conflitos territoriais existentes em Goiânia

Saber mais
Mapeamento Digital Colaborativo

Debate sobre os quatro temas iniciais – Arte Urbana, Art Déco, Vazios Urbanos e Cidade Comestível – apresentação da plataforma digital e início do mapeamento colaborativo.

Saber mais
Este projeto foi contemplado pelo Fundo de Arte e Cultura do Estado de Goiás 2016, SEDUCE e Governo de Goiás